Assentamento apoiado pelo Governo do Estado deve produzir 80 toneladas de peixe

Publicado em: 14/09/2016     Imprimir artigo

Nesta terça-feira, 13, os 37 agricultores familiares de Pirambu fizeram o peixamento de 30 mil alevinos da espécie hibrida Tambacu

Fotos: Marcelle Cristinne/ASN (para mais fotos, clique aqui)

peise

Os 37 agricultores familiares assentados na propriedade Papagaio, em Pirambu, acompanhados da equipe do governo, fizeram o peixamento [série de atividades que vai desde a coleta do organismo até sua introdução na água] de 30 mil alevinos da espécie hibrida Tambacu nesta terça-feira, dia 13. O grupo decidiu diversificar a produção ao investir na piscicultura como principal atividade econômica. A expectativa é produzir 80 toneladas de peixe por ano. A implementação do assentamento e das atividades produtivas é apoiada pelo Governo de Sergipe por meio do programa de crédito fundiário, coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri).

De acordo com o presidente da Associação dos Agricultores Familiares da Fazenda Papagaio, Edivaldo Alves da Cruz, a expectativa do grupo é, após seis meses, que os alevinos atinjam o tamanho ideal para pesca, favorecendo bom retorno financeiro para o grupo na Semana Santa do próximo ano. “Há dois meses colocamos 10 mil tilápias e hoje chegaram mais 30 mil alevinos de Tambacu. Nossa perspectiva é vender, no mínimo, 80 toneladas por ano de peixe. Nosso sonho daqui a dois anos é chegar a produzir 100 toneladas por ano”, disse o produtor.

Edivaldo também disse que vê uma reação positiva por parte das famílias depois da conquista da terra e da liberação dos recursos para os investimentos. “Depois que entramos na terra, já fizemos 18 quilômetros de cercas, abrimos estadas, limpamos os tanques, dividimos os lotes com 14 tarefas por família e estamos construindo as casas. Hoje tivemos um grande avanço colocando peixe nos tanques. Tudo isso está sendo possível porque conseguimos o apoio do governo para comprar a terra, os investimentos para começar a produzir e a assistência técnica que nos acompanha diariamente. Espero que, no futuro, a gente consiga tirar daqui o sustento e pagar nossos compromissos”, acrescentou.

O secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, disse que o programa de crédito fundiário foi indicado para a localidade porque as famílias são da região, têm aptidão para a terra e a piscicultura, e conhecem muito bem suas propriedades. “O crédito fundiário tem uma importância muito grande para Sergipe, porque avançou bastante como em iniciativas de acesso a terra em relação a outros estados do Brasil.  É uma ação que ajuda muito, pois acaba realizando uma reforma agrária pactuada através de um acordo no qual as famílias recebem um financiamento e negociam com o proprietário a compra da terra. Os produtores ainda recebem recursos para investimentos e assistência técnica sem o compromisso de restituição”.

Esmeraldo ainda disse que o impacto do apoio do governo na vida das famílias é bastante positivo, pois elas podem aumentar a renda por meio da piscicultura, uma das atividades econômicas que mais crescem no Brasil.

Investimentos

O secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, disse que o programa de crédito fundiário foi indicado para a localidade porque as famílias são da região, têm aptidão para a terra e a piscicultura, e conhecem muito bem suas propriedades

O secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, disse que o programa de crédito fundiário foi indicado para a localidade porque as famílias são da região, têm aptidão para a terra e a piscicultura, e conhecem muito bem suas propriedades

O coordenador do programa de crédito fundiário em Sergipe, Sérgio Santana, conta que os antigos donos da fazenda Papagaio produziam alevinos para vários estados do Nordeste, e que, por isso, a compra da propriedade pelos agricultores foi ótima, visto que, no local há 40 tanques pequenos de 30m e cinco de 100m, além de laboratório e área de separação de peixes.

“Os agricultores foram contemplados com recursos financeiros do Programa de Crédito Fundiário no valor de R$ 1.510.157,33. Eles também receberam R$ 1.149.999,96 para assistência técnica e realização de benefícios na propriedade como colocação de cerca, estradas, limpeza dos lotes e tanques, além de implementar projetos produtivos na área de piscicultura em tanques escavados, totalizando investimentos de R$ 2.660.157,29”, relatou Sérgio.

Assistência técnica

O consultor da empresa Multiagro, que presta assistência técnica aos agricultores da propriedade Papagaio, Rafael Lopes, pontuou as atividades já realizadas no assentamento. “Fazemos o acompanhamento intensivo durante cinco dias na semana com um técnico especialista em piscicultura. Mas, inicialmente, orientamos o grupo sobre organização comunitária, associativismo e contabilidade básica. Agora que estamos povoando os tanques com alevinos, passamos a realizar capacitando em relação à nutrição dos peixes, controle biométrico, de crescimento e repicagem dos tanques menores para os maiores, na medida em que vão crescendo”.

Rafael explica que a perspectiva é ter três ciclos de produção por ano, totalizando 90 toneladas ao final. A partir disso, haverá divisão de cerca de três toneladas por família, permitindo uma renda de dois salários mínimos por mês. “Além dessa atividade, estamos sugerindo como produções complementares a apicultura, ovinocultura, aproveitando a vegetação do entorno dos viveiros, e avicultura pelas mulheres. Essas atividades, inclusive, foram sugeridas por eles, visto que já desenvolviam anteriormente”, acrescentou.

CompartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

REVISTA DOS BAIRROS-SANTO ANTÔNIO

Nenhum Comentário
17/10/2017
">
Gastronomia

Um oásis no sertão

Nenhum Comentário
04/10/2017







© 2016 Instituto Vegas de Pesquisa de Opinião Pública EIRELI. Todos os direitos reservados.