Belivaldo participa de lançamento de programa de ensino técnico para estudantes do ensino médio

Publicado em: 21/12/2016     Imprimir artigo

Sergipe será contemplado com recursos para ensino médio integral em 18 escolas

beliensmedioO Estado de Sergipe terá 18 unidades de ensino médio em tempo integral. A novidade foi anunciada durante evento na tarde desta terça-feira, 20, no Palácio do Planalto, quando o presidente Michel Temer assinou a liberação de R$ 850 milhões para estimular o Novo Ensino Médio. Desse total de recursos, R$ 700 milhões serão destinados para a oferta de cursos técnicos simultâneos ao ensino médio para alunos da rede pública. Outros R$ 150 milhões vão para o Programa de Fomento à Escola em Tempo Integral. O vice-governador Belivaldo Chagas acompanhou a solenidade representando o governador Jackson Barreto, que cumpre agenda de inaugurações no interior do estado.

Em seu discurso, o presidente Temer destacou a necessidade de conciliar a responsabilidade econômica com a social para superar a crise que o País enfrenta e a importância do ensino técnico para diminuir os índices de desemprego.

“Os recursos hoje liberados têm o objetivo de tirar do papel as escolas de ensino técnico e de tempo integral. Muitas vezes as pessoas não conseguem chegar à universidade, o que não significa que não podem servir imensamente ao País. O ensino técnico é fundamental para sua capacitação”.

O Programa de Fomento à implementação da Escola em Tempo Integral já recebeu adesão de 26 estados e do Distrito Federal. O MédioTec, por sua vez, é uma ação do Pronatec que vai ofertar 82 mil vagas inicialmente. O objetivo é garantir que o estudante do ensino médio esteja inserido no mercado trabalho após concluir essa etapa de ensino.

“O programa dá mais autonomia para que os jovens possam definir o seu futuro do ponto de vista educacional das escolas de formação do nosso país”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho. Destacou ainda que, no Brasil, 8,4% das matrículas do ensino médio estão articuladas a cursos de formação técnica. A porcentagem está aquém de países europeus, onde cerca de 40% das matrículas recebem essa formação. “Temos que mudar essa realidade quando o jovem não tem acesso à formação técnica, mesmo que sonhe com o ensino superior, a rigor está comprometendo a sua perspectiva de futuro”.

O vice-governador Belivaldo Chagas informou que para ajudar no processo de instalação da modalidade, o Governo Federal destina R$ 2 mil por aluno, por ano, recurso assegurado durante os próximos quatro anos. “Os recursos destinados por aluno incluso na modalidade ajudam ao Estado, de modo que a escola funcione de forma a atender aos interesses dos estudantes. O Governo do Estado está preocupado em promover mais qualidade na educação e preparar o jovem para o futuro. Não vai ser uma mudança da noite para o dia, de modo que abriremos a discussão com as escolas para que haja a adequação necessária. Com essa alteração, oportunizaremos que o jovem conclua o ensino médio através de atividade também voltada para a área profissional, de modo que ele saia apto para enfrentar o mercado de trabalho e buscar, também, a formação universitária”, comentou.

Atualmente, Sergipe possui três escolas de ensino médio em tempo integral: Atheneu, Marco Maciel e Vitória de Santa Maria. O Estado apresentou ao Ministério da Educação (MEC) proposta de implantação de 37 unidades, dentro da modalidade. De acordo com a Portaria 1145/2016, que institui o fomento à Implementação da Escola em Tempo Integral, criada pela Medida Provisória nº 746/2016, caberia a Sergipe nove escolas e 4.050 alunos. Porém, o superintendente executivo da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Everton Siqueira, conta que esse número já foi ampliado.

“Já conseguimos dobrar esse número, podendo chegar até 30 escolas de ensino médio integral. O MEC está analisando a possibilidade de inclusão de novas escolas e, até esta sexta-feira, 23, saberemos se seremos contemplados”, acrescentou.

O superintendente executivo da Seed explica que, no estado de Pernambuco, que foi usado como norte para a implantação do ensino médio em tempo integral, houve aumento do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) por conta da instalação da modalidade nas escolas. “O nível da qualidade do ensino melhorou e a avaliação do resultado do ensino foi muito boa. Vimos, também, que em alguns países há índices altos na educação e acreditamos que o Brasil está passando por um momento de inovação. Isso é muito interessante para o nosso país e, por consequência, para nosso estado”, ressaltou.

Everton Siqueira pontua que as três escolas sergipanas que adotam o ensino médio integral obtêm bons resultados no Ideb. Exemplo disso foram os dados referentes ao ano de 2015, nos quais houve demonstração que as unidades de ensino tiveram elevação do resultado.

A adequação das escolas vai acontecer em Sergipe de forma gradativa, de acordo com Everton, e conforme a liberação dos recursos através do MEC. A ideia é que as unidades de ensino recebam mudanças como construção de vestiários e refeitórios. Ele também explicou que as escolas que têm ensino fundamental, e onde será implantado o ensino médio de tempo integral, passarão por mudança progressiva e em consonância com as unidades e os alunos. “Vamos fazer a implantação de forma tranquila e gradativa”, pontuou o superintendente.

*Com informações do Palácio do Planalto

CompartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

REVISTA DOS BAIRROS-SANTO ANTÔNIO

Nenhum Comentário
17/10/2017
">
Gastronomia

Um oásis no sertão

Nenhum Comentário
04/10/2017







© 2016 Instituto Vegas de Pesquisa de Opinião Pública EIRELI. Todos os direitos reservados.