Castanha de caju sergipana é destaque internacional

Publicado em: 05/01/2017     Imprimir artigo

Produto foi selecionado para participar de Feira na França

Processo de torrefação da castanha de caju. Foto: Ucom Sebrae

Processo de torrefação da castanha de caju. Foto: Ucom Sebrae

O município de Itabaiana é conhecido pela força de seu comércio e por ser a “terra dos caminhoneiros e da cebola”. Porém, é um outro produto que irá inserir em breve a região no cenário internacional: a castanha de caju.

Isso porque o alimento, que hoje é a principal fonte de renda para os moradores do Povoado Carrilho, foi um dos seis produtos selecionados para representar o Brasil no Salon Internacional de la Restauration de I’hôtellerie et de l’alimentacion (Sirha 2017), o maior evento das indústrias de gastronomia, hotelaria e foodservice do mundo.

A Feira acontece de 22 a 25 de janeiro em Lyon, na França, e reunirá quase três mil expositores, 200 mil chefs de cozinhas e outros 180 mil profissionais dos setores de hotelaria e alimentação de 86 países. Ela tem como proposta disseminar a cultura, os ingredientes e produtos diferenciados, valorizando as práticas de produção sustentável.

A participação dos sergipanos será viabilizada pelo Sebrae, que promoverá uma missão para levar os produtores selecionados para o evento. Além da castanha do Carrilho, também serão apresentadas a cachaça, o café, ovas de tainha defumada, o cacau e a amêndoa produzidos em estados do Sul, Sudeste e Norte do Brasil.

“Será uma excelente oportunidade para divulgar o produto junto aos representantes de restaurantes, supermercados, hotéis e entidades que atuam no setor de alimentação em vários países. Esperamos que esse seja o primeiro passo para inserir a castanha de caju no cenário da gastronomia mundial”, explica o diretor Técnico do Sebrae, Marcelo Barreto.

A comitiva sergipana embarca no dia 19 para a França. Além da Feira, os sergipanos também visitarão pequenas propriedades rurais no país para agregar novos conhecimentos.

Critérios

Foto: Ucom Sebrae

Foto: Ucom Sebrae

Para selecionar os produtos os organizadores da Feira levaram em consideração aspectos como certificação, Indicação Geográfica (de origem e de procedência), marcas coletivas, selo de qualidade controlados por associações ou cooperativas e premiações relevantes recebidas.

Um dos diferenciais da castanha sergipana é que ela é a única cujo processo de torrefação é natural, ou seja, sem a utilização de aditivos químicos, e sustentável, já que utiliza a casca do produto para aquecer os fornos.

Segundo a presidente da Cooperativa dos Beneficiadores de Castanha do Povoado Carrilho (Coobec), Maria Cristina da Silva, a participação na Sirha 2017 serve como reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelos trabalhadores.

“Foi com muita satisfação que recebemos esse convite porque poderemos mostrar um pouco da nossa cultura e levar o nome da nossa comunidade para outro país. Nós não tínhamos noção do valor que o nosso produto tem para as outras pessoas”.

Estima-se que mais de 100 famílias no Povoado tenham como fonte de renda a castanha de caju. É de lá que sai a maior parte do produto comercializado nas feiras livres, supermercados e praias de Aracaju. Somente na Coobec são produzidas duas toneladas de castanhas por mês.

Por Ucom Sebrae

CompartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *








© 2016 Instituto Vegas de Pesquisa de Opinião Pública EIRELI. Todos os direitos reservados.