Governador participa de seminário do programa Mão Amiga em Cristinápolis

Publicado em: 29/03/2017     Imprimir artigo

De acordo com Jackson, o evento é de grande importância para o estado, pois além de dar suporte a uma das atividades que mais fomentam a economia sergipana, orienta centenas de famílias que tiram o sustento da colheita da laranja
 

Dando continuidade à maratona de seminários que fazem parte do Programa de Transferência de Renda e Geração de Cidadania ‘Mão Amiga’ Citricultura, o governador Jackson Barreto visitou, na última terça-feira, 28, o município de Cristinápolis, localizado na região Sul de Sergipe.

De acordo com o governador do Estado, o programa dá suporte às famílias que se dedicam inteiramente ao cultivo da laranja, uma das principais atividades econômicas que impulsionam o estado e que gera emprego e renda aos homens e mulheres do campo.

“A beleza desse programa é de que é uma obra que não é feita de cimento, de telhas ou de tijolos. É feita de consciência e de coração. É uma contribuição do Governo do Estado aos catadores de laranja durante o período da entressafra. A importância é de que essa pequena ajuda que o governo passa para esses trabalhadores pode ser somada com outros programas como o Bolsa Família, criada pelo presidente Lula, ajudando ainda mais essas famílias no complemento para a compra de um livro para o filho ou de remédios, por exemplo. Com as dificuldades que o povo passa, qualquer ajuda contribui na melhoria da qualidade de vida. O impacto disso não está apenas no valor, mas na continuidade e no compromisso social que chega na hora em que eles mais precisam do estado”, declarou.

Nesta última edição do programa, já foram pagos R$ 127.680 a 224 agricultores da citricultura cristinapolense, nas primeiras três parcelas. O programa tem como objetivo promover, durante os períodos de entressafra, a transferência de renda aos trabalhadores rurais que cultivam laranja e cana-de-açúcar. Apenas nesta última edição (de dezembro de 2016 a março de 2017), 4.448 plantadores de laranja dos 14 municípios cadastrados já foram beneficiados.

Todos os municípios que possuem agricultores familiares beneficiados pelo auxílio receberão os seminários. Nos eventos, eles serão informados e orientados sobre o programa, sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da laranja no campo.

A presença dos trabalhadores é pré-requisito para a continuação deles no programa. Se o beneficiário não puder comparecer, deve enviar um membro da família munido da carteira de identidade da pessoa que está cadastrada para resgatar o benefício.

Para o secretário de Inclusão, Zezinho Sobral, essas ações são vitais para a região, pois há muitos trabalhadores sem vínculo empregatício direto e que não recebem as orientações necessárias para o bom andamento do trabalho na colheita.

“A existência do programa garante um auxílio da entressafra, uma bolsa que alivia essa tensão econômica na região. Nós estamos seguindo à risca o programa e o governador garante a manutenção dele trazendo um seminário que discute aspectos relacionados ao homem do campo, à sua saúde, à questão das doenças sexualmente transmissíveis, a sífilis congênita, o uso de defensivos agrícolas, produtos sem EPI, a resistência, e as consequências que isso traz para o trabalhador, que vai catar laranja no dia seguinte em que foi aplicado um determinado produto químico”, explicou.

Além disso o secretário também afirmou que este é o sétimo ano consecutivo de seca em Sergipe e que isso afetou muito a citricultura. “Prova disso é que a produção desse ano está menor, tem menos trabalho ofertado e mais dificuldade para o trabalhador rural. Ou seja, o programa não proporciona apenas a inclusão pela renda, que é o direito do benefício, ele promove também a inclusão pela capacitação através das políticas públicas”, reforçou.

Políticas que o agricultor Renildo de Jesus reconhece como essenciais para esse período de entressafra. “Esse benefício é muito importante para a gente que cata laranja. O programa é bom, e essas palestras ajudam a gente a ter que cada vez mais cuidado com o nosso trabalho no campo, porque é o único que tem. Com esse dinheiro eu compro alimentos para mim, pago algumas contas, como as de energia, e outras coisas. Isso ajuda muita gente e sem esse benefício estava difícil de viver”, revelou.

Na hora certa

O prefeito de Cristinápolis, João Dantas, o programa não tinha a devida atenção nas gestões anteriores, mas agora, durante o governo de Jackson, ele voltou a ter relevância. “O Mão Amiga é um programa de transferência de renda, idealizado pelo governo, desde 2009, que estava esquecido. Hoje, ele está voltando a ser o que era: uma ajuda que incentiva o trabalho e diminui as dificuldades dos catadores de laranja. E essa volta veio na hora certa, em que todos estavam precisando para aumentar a renda. Quero agradecer ao governador Jackson Barreto por essa iniciativa em Cristinápolis e parabenizar todos aqueles que aqui que passaram fizeram sua parte”.

O ex-prefeito Raimundo Leal concordou e reforçou que o programa ajudará os trabalhadores que enfrentam o momento de estiagem. “As pessoas querem trabalhar, mas não têm laranja para colher. O Mão Amiga chega no momento certa. Uma mão para ajudar as pessoas, a serem companheiras, serem solidárias, e ajudar na alimentação delas. Agradecemos por esse auxílio às cidades que têm a laranja como fonte de renda e pedimos que essa mão amiga continue ajudando a todos. Agradecemos por mais esse apoio dado pelo governador Jackson Barreto”, destacou.

O Agricultor José Ailton dos Santos vivencia essas dificuldades e sabe o quanto o Mão amiga pode, de fato, ajudar. “Esse programa ajuda demais, porque está muito difícil comprar as coisas de casa e qualquer ajuda é boa. A gente fica muito feliz que o governador diga que programa não vai acabar. Muitas famílias dependem dele para fazer as compras do mês quando entra nesse tempo que a colheita acaba”, informou.

Até agora, as palestras já foram realizadas em Santa Luzia do ItanhiItaporangaSalgado, BoquimArauá, Pedrinhas, Tomar do Geru e Itabaianinha. Nas próximas semanas elas ocorrerão em Umbaúba, Estância, Indiaroba, Riachão do Dantas e Lagarto, completando o cronograma de capacitações.

Mão Amiga Citricultura

Em execução desde 2009, o programa da Seidh consiste no pagamento de quatro parcelas no valor de R$ 190 às famílias de produtores que estejam inscritas no ‘Cadastro Único’ do Governo Federal para benefícios em programas sociais. As parcelas são pagas como complementação de renda durante a entressafra da citricultura e da cultura da cana de açúcar.

A iniciativa é uma parceria da secretaria com a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Secretarias Municipais de Assistência Social.

Desde sua criação 2009, apenas em Cristinápolis, já foram liberados 2.146 benefícios, correspondendo a um total de R$ 1.588.400 investidos. Nos 14 municípios do cultivo cítrico, já foram pagos 34.973 benefícios, que correspondem a R$ 25.734.360 – recursos oriundos do Fundo Estadual de Erradicação e Combate à Pobreza (Funcep).

Considerando os 14 municípios, 4.448 beneficiários receberam, até o momento, R$ 2.535.360. Com a quarta parcela, a ser paga no próximo mês, o valor total atingirá R$ 3.207.000.

Já o Programa Mão Amiga ‘Cana de Açúcar’ abrange 20 municípios e já pagou 22.540 benefícios com um valor total de R$ 17.130.400. Somados, Mão Amiga Citricultura e Cana já pagaram benefícios no valor de R$ 42.864.760.

Presenças

Acompanharam a solenidade a secretária municipal de assistência social, Andréa dos Santos; os ex-prefeitos de Cristinápolis, Padre Raimundo Leal, José Alves de Oliveira, Sebastião Vitor e Gislandes Rocha; a presidente da Câmara de Vereadores, Josefa Betânia dos Santos; a superintendente executiva da Seidh, Roseli Andrade; o secretário municipal da agricultura, Marquinhos do PT; a diretora de inclusão produtiva da Seidh, Heleonora Cerqueira; a presidente do sindicato dos trabalhadores rurais de Cristinápolis, Núbia Fontes; o gerente regional da Emdagro, Carlos Alberto; e o representante do MST, Gilberto Aristide.

Foto: André Moreira/ASN.

CompartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *








© 2016 Instituto Vegas de Pesquisa de Opinião Pública EIRELI. Todos os direitos reservados.