Capital Destaques

INSTITUTO VEGAS

Nenhum Comentário
20/12/2017
Capital Destaques

INSTITUTO VEGAS

Nenhum Comentário
20/12/2017
Destaques

CONVITE MEU DIA DE CUIDADO

Nenhum Comentário
27/10/2017

Tobias Barreto: um ícone eternizado

Publicado em: 01/09/2016     Imprimir artigo

TBTobias Barreto de Meneses nasceu no dia 7 de junho de 1839, na vila sergipana de Campos, nos sertões de Rio Real, antigo nome da cidade que hoje leva o nome do poeta – Tobias Barreto. Filho de Pedro Barreto de Meneses, escrivão de órfãos e ausentas da localidade, tornou-se o patrono da Cadeira nº 38 da Academia Brasileira de Letras.

Três fases marcaram a vida de Tobias Barreto durante seus 50 anos de vida. Tido como poeta de guerra escreveu poesias de guerra, passando a ser um incentivador dos voluntários da pátria, além de guia do povo durante a Guerra do Paraguai. Depois, passou a direcionar-se para a crítica religiosa, política e social e divulgar as descobertas científicas. O terceiro momento do poeta se dá quando ele deixa de ser um livre pensador, filósofo e crítico para ser professor da Faculdade de Direito de

Recife

Em 1861, aos 22 anos de idade, seguiu para a Bahia com a intenção de frequentar um seminário, mas desistiu de imediato. Posteriormente, Tobias Barreto seguiu para Pernambuco. Pretendia estudar Direito em Recife, aonde chegou aos 23 anos de idade. Durante a viagem para Recife, passou por Alagoas, onde participou de tertúlias e recitou um poema de improviso sobre Camões. A partir daí se integrou à vida pernambucana. Antes de ingressar na Faculdade de Direito, Tobias Barreto deu aulas particulares e fez concurso para o Colégio das Artes, um secundário à Faculdade de Direito.

Tobias Barreto desde os primeiros momentos demonstrou que seria um grande poeta e foi tendo a seu favor à época que lhe deu a temática: o Brasil estava em guerra com o Paraguai, em 1865, fase que lhe deu o título de poeta de guerra. Exercia uma notável liderança. Primeiro com a poesia da guerra, depois com a crítica religiosa e filósofa e, através dos seus jornais e artigos que escrevia em Escada para onde foi depois de formado para advogar.

Foi em Escada que ele lançou o jornal alemão o Deustcher Kaempfer, e publicou uma revista de estudos alemães, fundou um clube popular e fez um discurso inauguratório intitulado “Um Discurso em Manga de Camisa”, que foi uma visão sociológica da realidade. Essa incorporação ao pensamento alemão se dá no campo do Direito, da crítica literária, da filosofia, da crítica artística e na crítica social. Ele foi buscar conhecimento nas fontes alemãs e acabou fazendo um atalho que beneficiou a cultura brasileira da época.

Em 1882 fez o concurso para professor de Direito. Essa é a última grande etapa da vida de Tobias porque ele deixou de ser um livre pensador, um filósofo e um crítico para ser professor. Ainda antes de concluir o curso de Direito casou-se com a filha de um coronel do interior, proprietário de engenhos no município de Escada. Eleito para a Assembleia Provincial não conseguiu progredir na política local.

 

Memorial

Quando Tobias Barreto morreu, a abolição da escravatura havia acontecido pouco tempo antes e a Proclamação da República ainda ia se realizar. A sua obra é de significativo valor, levando em conta que o professor sergipano não chegou a conhecer a capital do Império. A história do intelectual, bem como o seu acervo, livros, publicações em jornais, fotos e quadros referentes ao ilustre sergipano podem ser encontrados  no memorial que leva seu nome na cidade que foi rebatizada em sua homenagem: Tobias Barreto.

 

CompartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital Destaques

INSTITUTO VEGAS

Nenhum Comentário
20/12/2017







© 2016 Instituto Vegas de Pesquisa de Opinião Pública EIRELI. Todos os direitos reservados.